Opt GIS

Você já ouviu falar de Branch Version?

Branch Version é um modelo de versionamento adotado pela Esri no lançamento da Utility Network que utiliza uma arquitetura baseada em serviços ao invés de depender de uma conexão com o database.

Isso quer dizer que a cultura dos usuários editarem os dados através de conexões com o banco de dados, caso a empresa decida migrar para esse novo modelo, é eliminada e os usuários devem adotar outra cultura, mais segura do que a anterior, de realizar essas edições somente através dos serviços publicados.

As edições podem ser realizadas de várias formas, como através do ArcGIS Pro, aplicativos de campo, como Field Maps e aplicações Web.

As versões podem ser controladas e gerenciadas também através dos serviços. O usuário pode adicionar o serviço em um mapa no ArcGIS Pro ou em uma aplicação Web, mudar para a versão dele e realizar as edições necessárias.

Outro ganho ocorre para os administradores que gerenciam as versões. O gerenciamento de versões fica mais amigável, dando a possibilidade até de revisar conflitos em várias seções, e não apenas ter a possibilidade de resolver os conflitos todos de uma única vez, como no modelo tradicional de versionamento.

Quais são os ganhos?

Branch Version é um modelo que melhora em muito a performance dos dados versionados, pois não cria um monte de tabelas para controlar as versões, como o modelo tradicional. Ele administra tudo na tabela original, criando campos que serão utilizados para esse controle.

Como não é mais necessário realizar consultas complexas em várias tabelas, mas apenas uma consulta simples em uma única tabela, o desempenho é muito superior.

Outro ganho de utilizar o Branch Version é que ele dispensa o uso de compress. Isso mesmo! Aquele compress diário é eliminado.

Outro ponto positivo é que com esse novo modelo não apenas quem criou ou editou as feições serão rastreados, mas também quem deletou alguma coisa.

 

Preciso migrar todo o banco para o novo modelo?

Não. O versionamento é realizado por dataset e podemos utilizar, no mesmo Geodatabase, datasets com o modelo tradicional e datasets com o modelo branch.

 

Se você se interessou e quer dar uma aprofundada no assunto, sugiro visitar o blog e a documentação da Esri.

Blog:

·       https://www.esri.com/arcgis-blog/products/arcgis-enterprise/data-management/to-branch-or-not-to-branch/;

·       https://www.esri.com/arcgis-blog/products/arcgis-enterprise/data-management/branch-versioning-setting-the-stage/.

 Documentação:

·       https://pro.arcgis.com/en/pro-app/latest/help/data/geodatabases/overview/branch-version-scenarios.htm.

 

Escrito por

Rafael Fernandes 

Função: Analista de Suporte
https://www.linkedin.com/in/Rafael Fernandes/

 

Sugestões para você

GIS no Acompanhamento de Obras A facilidade de integração de dados espaciais para criação de indicadores é uma das grandes vantagens no uso das tecnologias …
Como utilizar imagens de satélites Curioso para saber quais imagens de satélite utilizar em seu projeto? A escolha de um sensor/satélite adequado depende do escopo do projeto e do …